“Confesso que me rebelo contra o uso  excessivo da internet pelas crianças  e adolescentes, cada um para o seu lado” Ler mais

“Confesso que me rebelo contra o uso excessivo da internet pelas crianças e adolescentes, cada um para o seu lado”

“Nunca poderia imaginar que um dia mais tarde existiriam crianças que prefeririam ao mato o sofá das suas casas e o ipad ou o telemóvel para, enganadamente, percorrerem matos virtuais.  Penso que seria nossa obrigação fazê-las (obriga-las), às crianças, a parar para pensar. São drogados dos pequenos ecrãs e não há escolas de recuperação em casa. Acredito, a pés juntos, que já não fará qualquer diferença a essas crianças ouvir o chilrear de um pássaro nos trilhos das ilhas ou o berrar de uma vaca na montanha rodeada de conteiras e de hortênsias quando o seu pensamento está configurado apenas ao software e ao hardware de um computador”.

 

Fat Tuna acusa os serviços oficiais dos Açores por os pescadores e privados estarem a perder dinheiro na exportação do atum rabilho Ler mais

Fat Tuna acusa os serviços oficiais dos Açores por os pescadores e privados estarem a perder dinheiro na exportação do atum rabilho

 “…Estamos a dar tiros nos pés. O peixe está cá no mar dos Açores próximo da nossa costa. Os pescadores já têm formação para o capturar. Já temos empresas como a Fat Tuna que fazem um bom trato do pescado e que conseguem mercados Premium. Mas, depois, a própria Lotaçor, a própria Inspecção Regional das Pescas e a própria APASA, não nos permite dar continuidade a este processo com a rapidez que o mercado exige”, afirma o empresário Afonso Van Uden, da Fat Tuna, que tem colocado rabilho açoriano no Dubai.

“Num contexto de maior inflação a protecção das famílias mais desfavorecidas passará  sempre pelo apoio ao seu rendimento” Ler mais

“Num contexto de maior inflação a protecção das famílias mais desfavorecidas passará sempre pelo apoio ao seu rendimento”

Marta Guerreiro transitou da banca açoriana para a governação dos Açores e, findo o mandato, regressou à banca, desempenhando agora as funções de Presidente da Comissão Executiva do novobanco dos Açores. É, por este currículo de conhecimento, uma das jovens economistas dos Açores com maior conhecimento prático, directo e próximo da dimensão económica da Região e da autonomia financeira média das famílias açorianas. As mais de duas décadas nos Açores faz-lhe ter já umas ‘costelas insulares’ que vão fazendo de si uma açoriana de gema. Concentrando hoje todas as suas energias em projectos inovadores do novobanco dos Açores, Marta Guerreiro não se desliga da realidade do arquipélago que vê com optimismo, apesar do ‘transe’ da pandemia e da invasão russa. Uma das suas jóias na Região é a Certificação dos Açores enquanto destino turístico sustentável, mas, a propósito, deixa um sério aviso...

Theme picker