Consignação da empreitada de reforço de emergência do Porto das Lajes foi assinada

A Secretaria Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas acaba de assinar a consignação da empreitada de reforço de emergência do Porto das Lajes das Flores com o agrupamento de empresas TecnoviaAçores – Sociedade de Empreitadas, S.A., SacyrSomague, S.A., Etermar – Engenharia e Construção, S.A.
O prazo de execução (135 dias) começa a contar desde ontem, dia em que o navio “Margareth” viajou até à ilha das Flores com diverso material e equipamento destinado a esta importante obra, nomeadamente, moldes, cofragem, maquinaria pesada e diversos ‘big bags’ de cimento.
Em nota, o Governo recorda que a obra em questão surge no âmbito dos prejuízos causados pela depressão Efrain, em Dezembro de 2022, e envolve um investimento superior a 6,1 milhões de euros (6.138.500,00 euros, não incluindo o IVA à taxa legal em vigor).
Em Dezembro de 2022, aquele porto foi novamente fustigado por uma tempestade de intensidade muito significativa (a depressão Efrain). A forte ondulação que se fez sentir agravou o estado da infraestrutura portuária, já fragilizado pela passagem do furacão Lorenzo em Outubro de 2019, particularmente o estado do molhe.
As ondas provocaram o deslocamento dos blocos do manto e dos blocos que compunham o muro-cortina e arrastaram o material do núcleo para o interior da bacia do porto, até uma zona adjacente ao intradorso do molhe parcialmente destruído. A zona limite do terrapleno foi igualmente afectada.
O estado actual do molhe da bacia do porto, resultante da passagem da depressão Efrain, é tal que a bacia do porto se encontra desprotegida, particularmente na zona do enraizamento, o que compromete a acostagem dos navios na ponte-cais.
Uma parte significativa do terrapleno encontra-se mesmo exposta e desabrigada da acção das ondas.
Tudo isto levou a Secretaria Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas a lançar a empreitada agora consignada, por forma a avançar com a construção das obras de protecção de emergência e assegurar condições adequadas de abrigo que permitam, a curto prazo, melhorar a operacionalidade da ponte-cais e que permitam proteger a zona afectada do terrapleno. No âmbito desta empreitada, pretende-se construir estruturas com um carácter temporário, as quais permitam melhorar as condições de abrigo da bacia do porto e do terrapleno até que se encontrem concluídas as obras definitivas, particularmente, o novo molhe do Porto das Lajes das Flores, lê-se na nota publicada no portal do Governo dos Açores.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

x