Orçamento de 2023 contempla 6 milhões de euros para os idosos comprarem medicamentos

O Vice-presidente do Governo, Artur Lima, anunciou que o Plano e Orçamento para 2023 irá prever uma “verba histórica” para o pagamento do complemento para aquisição de medicamentos (COMPAMID), na “ordem dos seis milhões de euros”, quando, em 2020, a “verba total executada foi de 1,1 milhões de euros”, lembrando que o XIII Governo Regional dos Açores tornou “mais simples o acesso a este apoio”, permitindo que “chegue a um maior número de pensionistas”, sem que “tenham de adiantar o seu dinheiro na farmácia”, referindo que “a simplificação do COMPAMID, operada por este Governo, permitiu, de Janeiro até Setembro deste ano, contemplar 19.857 beneficiários, quando em todo o ano de 2020, foram alcançados 7.142”.
O Vice-presidente do Governo falava no Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia da Vila de São Sebastião, em Angra do Heroísmo, por ocasião da comemoração do Dia Internacional do Idoso, instituído pela ONU em 1991. Na visita, Artur Lima prestou uma “homenagem sentida aos idosos das nove ilhas” dos Açores, realçando que estes são uma “referência moral para as novas gerações”, referindo: “É uma exigência, para todos nós, apoiá-los e protegê-los como merecem, sobretudo aos mais frágeis”, prosseguiu.
Ainda na área do envelhecimento, o governante recordou que o Governo “tem desenvolvido um projecto inovador, que visa a manutenção do idoso em casa”, assumindo um formato experimental na Praia da Vitória e em Ponta Delgada. Apesar do Programa “Novos Idosos”, financiado pelo PRR, ser um “desafio constante”, Artur Lima avançou que as “visitas domiciliárias aos candidatos, na Praia da Vitória, já terminaram, decorrendo agora o trabalho de verificação documental e de resolução de questões formais e legais”.
“Contamos que, no próximo ano, este projecto seja estendido a dois novos concelhos dos Açores, estabelecendo, assim, novas parcerias com outras IPSS e Misericórdias da Região”, referiu. E também para o próximo ano, deu nota de que está previsto despender 4,1 milhões de euros em projectos e obras em infraestruturas de apoio ao idoso. “São mais 1,8 milhões de euros do que este ano. O que isto significa é que, em 2023, os idosos serão novamente uma prioridade máxima do Governo. É um dever geral proteger os seus direitos sociais”, salientou. E finalizou: “Estamos atentos aos desafios imediatos que se colocam à nossa população mais envelhecida. Preocupa-nos que existam idosos vítimas de violência e de abandono. Preocupa-nos que existam idosos a viver na pobreza e na solidão. Nada disso é aceitável e tudo faremos, em conjunto com os nossos parceiros, para inverter essas situações e dignificar a vida daqueles que já deram tanto por nós”.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker