Familiares recusam ter ladrão em prisão domiciliária depois deste ter roubado e empurrado um homem de 82 anos em Vila Franca do Campo

Um homem de 38 anos de idade vai a julgamento por ter roubado 100 euros a um outro cidadão, de 82 anos, quando este se encontrava a levantar dinheiro numa das ruas centrais de Vila Franca do Campo. Para além deste, pendem ainda sobre o arguido outros furtos perpetrados no concelho.
Regressando ao furto sobre o cidadão de 82 anos, os factos terão ocorrido depois das 17h do dia 8 de Março deste ano, quando o arguido, consumidor de drogas sintéticas, terá interpelado o ofendido no sentido de este lhe poder dar algum dinheiro. Após isso lhe ter sido negado, o homem de 38 anos esperou que o ofendido levantasse dinheiro, empurrou-o pelas costas e terá fugido do local com 100 euros. Uma testemunha que presenciou a ocorrência ainda terá tentado, sem sucesso, correr atrás do arguido.  
Nos autos da Esquadra da PSP de Vila Franca do Campo, que tomou conta da ocorrência, o ofendido identificou, sem margem para dúvidas, o alegado ladrão explicando que este ia frequentemente a sua casa pedir esmola. As imagens de videovigilância da instituição bancária onde se encontra a caixa multibanco confirmaram a ocorrência e a identidade do arguido. A detenção deste homem de 38 anos deu-se no dia seguinte, 9 de Março, pelas 23h35m.
Para além deste roubo, o arguido já era bem conhecido das autoridades policiais de Vila Franca do Campo, pendendo sobre ele várias outras ocorrências realizadas durante o ano de 2021.
O primeiro desses casos remonta a Fevereiro de 2021, quando o arguido terá sido o autor de um furto qualificado a um estabelecimento de restauração em Vila Franca do Campo e de onde terá tirado bens num valor superior a 600 euros (dinheiro, bebidas alcoólicas e vários volumes de cigarros). No mês seguinte, o mesmo individuo, acreditam as autoridades, terá sido o autor material de um furto no Campo Municipal da Mãe de Deus. Em finais de Abril ou início de Maio, a Acusação acredita também que o arguido furtou um veículo no concelho da Lagoa, levando consigo um auto-rádio, colunas de som e um macaco hidráulico.
Ainda em 2021, a mãe do arguido chamou a PSP de Vila Franca do Campo, denunciando que o arguido a estava a ameaçar fisicamente e a exigir que esta lhe desse dinheiro para comprar droga.
Mais tarde, em Setembro, o arguido terá roubado, na rua, 170 euros a um outro homem em Vila Franca do Campo. Finalmente, em Novembro, depois de um outro individuo se ter negado a dar-lhe dinheiro e, sem qualquer motivo aparente, o arguido terá desferido um soco na cara do ofendido.
Após a detenção e ter sido presente a primeiro interrogatório judicial, o Tribunal determinou, tendo em conta os seus antecedentes, a aplicação de prisão preventiva na sua habitação, mas, quando os técnicos foram tratar da instalação da respectiva vigilância electrónica, três dos quatro familiares que coabitavam na moradia não deram o seu consentimento. Os familiares alegaram que não se sentiriam seguros na presença do arguido.
Perante este facto, o arguido foi colocado no Estabelecimento Prisional de Ponta Delgada, onde se encontra a aguardar julgamento.           
                                      

Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker