Grandes festas do Divino Espírito Santo são um “cartaz turístico de excelência daquilo que temos de diferente para mostrar ao mundo”

Desse grupo de pessoas, releve-se a preparação das sopas, a cargo das freguesias da Relva e Feteiras, e os Fenais da Luz, na confecção do arroz doce. Ou seja, são muitas centenas de pessoas envolvidas neste evento, além da edilidade contar com o apoio solidário e gratuito de patrocinadores, que também colaboram neste evento. Ou seja, é muita gente, sem a qual não seria possível a sua realização.
Este ano na sua XIX edição, estas festividades regressam após dois anos em que a pandemia da Covid-19 condicionou a sua realização.
Pedro Furtado recorda que “as duas edições anteriores foram, no entanto, realizadas e contabilizadas, embora de forma simbólica”, nomeadamente “com a distribuição das pensões no Quarto do Espírito Santo, na zona exterior do edifício da Câmara Municipal de Ponta Delgada e também fizemos o ano passado a exposição dos Carros de Bóis do Concelho, na Praça Gonçalo Velho Cabral”.

Reunião com decisão unânime
e programa

A edilidade decidiu avançar este ano com o formato habitual, sendo que a última vez em que as Grandes Festas do Divino Espírito Santo foram realizadas com esta configuração foi em 2019. “Em Abril tivemos uma reunião com as 24 freguesias do concelho de Ponta Delgada e a decisão foi unânime, no sentido de avançarmos com a sua concretização no formato integral”, relevou o Vice-presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada.
Assim, realizando-se na sua plenitude, durante quatro dias, Pedro Furtado destacou todos os momentos da sua realização, mas não deixou de referir a Conferência Inaugural proferida pela professora Eugénia Maria da Silva Abrantes, mas também a Inauguração da tenda do “Divino Espírito Santo de Alenquer”, que tem sido sempre uma presença assídua nas festividades. A seu propósito, “Alenquer, historicamente, foi o berço das Festas do Espírito Santo, ali instituídas pela Rainha Santa Isabel”, em 1321. Surge assim esta cooperação entre os dois municípios em relação a esta grande manifestação religiosa e popular.

100 coroas e bandeiras
no Quarto do Espírito Santo

Esta Sexta-feira, pelas 20h00, haverá a Mudança da Bandeira do Divino Espírito Santo acompanhada pela Banda Filarmónica Lira Nossa Senhora da Estrela – Freguesia da Candelária (do Centro Municipal de Cultura até aos Paços do Concelho), dando-se assim início à inauguração do Quarto do Espírito Santo, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, esperando-se que estejam em expostas 100 coroas e outras tantas bandeiras, “embora algumas destas coroas e bandeiras, este ano, não tenham sido integradas nas Festas do Espírito Santo locais, porque muitos impérios não se organizaram por falta de tempo e devido à indefinição que se manteve ainda relativamente à pandemia”.
O Quarto do Espírito Santo, do Salão Nobre dos Paços do Concelho foi novamente decorado por Durval Viveiros.
Ainda hoje serão inaugurados todos Quiosques de Solidariedade Social, no Largo Norte da Igreja Matriz assim como, na Rua de Santa Luzia, a abertura do Bazar de Artesanato dos Centros de Idosos do Concelho de Ponta Delgada.

Distribuição de pensões
e 14.000 kits para as sopas

Amanhã, surge a Distribuição das Pensões, a partir das 09h00 e, pelas 12h00, a partilha popular das Sopas do Espírito Santo, no Campo de São Francisco, onde “estão feitos cerca de 14.000 kits. A expectativa é grande, até porque depois decorrerá o Cortejo Etnográfico das 24 freguesias do Concelho, na Avenida Infante D. Henrique, “que será mais curto do que o habitual, apostando-se mais na qualidade em detrimento da quantidade, havendo deste modo um limite de carros alegóricos, o que não acontecerá em relação aos carros de bois, surgindo assim 30 viaturas alegóricas e cerca de 14/15 carros de bois e um total de cerca de 1.300 figurantes”. O dia complementar-se-á , no serão, com a actuação de vários grupos musicais.
No Domingo, no último dia das Grandes Festas do Divino Espírito Santo, o dia começará no Largo em frente da Igreja Matriz, onde decorrerá a Missa da Coroação (Animada pelo grupo coral e litúrgico de São Sebastião), a partir das 09h30, sendo que, pelas 16h00, decorrerá a Grande Coroação dos Impérios do Espírito Santo do concelho de Ponta Delgada, também “num formato mais curto, não só em termos de trajecto, mas também em relação à presença das mordomias”.
“São as festas possíveis, esperamos uma grande adesão popular com a expectativa de serem ao nível dos anos anteriores”, desejou.

Cartaz turístico de excelência da Região para o mundo

A questão das Grandes Festas do Divino Espírito Santo serem já uma referência identitária do concelho e da Região, Pedro Furtado releva o formato consolidado da sua realização, desde logo “na sua data de realização, sempre no segundo fim-de-semana de Julho e isto já começa a habitual, havendo aqui uma data fixa, o que promove, de certa forma, a organização de excursões e de presença de turistas, principalmente da nossa diáspora e os hotéis e as agências de viagens já começam a perceber, cada vez mais, que estas Festas são um grande cartaz turístico de excelência, daquilo que temos de diferente para mostrar ao mundo”. Ponto assente, o grande desafio para os próximos anos prende-se com o aspecto estético da apresentação das freguesias na Avenida Infante D. Henrique. “Ou seja, uma boa imagem que queremos dar, aprazível e que reflita também aquilo que são as tradições culturais de cada uma das 24 freguesias do Concelho de Ponta Delgada, que todas elas, têm tradições muito diferenciadas, uma das outras, do ponto de vista cultural e social”.

Preocupações ambientais
em todos os eventos

De realçar ainda a preocupação constante, por parte da edilidade, com as questões ambientais das Festas, que segundo o nosso interlocutor, “a Câmara Municipal de Ponta Delgada tem esse plano percorre todos os eventos. Queremos ter um impacto negativo na produção de resíduos que vão depois para o aterro sanitário, onde todos os materiais utilizados, nomeadamente na distribuição das Sopas do Espírito Santo, são biodegradáveis, recicláveis e que serão objecto de separação por parte dos nossos colaboradores. Esta é uma componente importante, porque temos a utilização do plástico no mínimo que é possível ter, mas temos uma redução muito drástica da utilização do plástico descartável, senão mesmo muito residual. Naquilo que são os grandes momentos da festa, tudo foi planeado do ponto de vista de controle de resíduos, com circuito e homens preparados para este evento”, concluiu.                    

 

Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker