1 de maio de 2022

Recados com Amor...

Meus Queridos! Hoje é dia da Mãe e quero neste meu recadinho lembrar o papel que cabe às mães neste tempo de incerteza e de grande perturbação social. Ainda há dias, o jornal que me acolhe no seu seio noticiou que em 2021 nasceram nos Açores duas mil e quarenta e três crianças… enquanto faleceram no mesmo ano… duas mil trezentas e sessenta e cinco pessoas. Isto é, o défice entre nascimentos e falecimentos foi de trezentas e vinte e duas pessoas… A natalidade é um problema grave com que a nossa Região está confrontada, acompanhando desse modo o que se passa no país e na Europa. Sabemos bem dos sacrifícios que uma mãe passa para conceber e dar à luz um filho ou filha nesta complexa sociedade onde as mães têm de trabalhar e ter filhos, apesar da partilha que hoje existe entre pai e mãe… Não é fácil trabalhar e cuidar dos filhos ao mesmo tempo… mas é preciso encontrar uma forma da sociedade não substituir os filhos por robôs dotados de inteligência artificial… Se nada for feito é para aí que se caminha… Mas voltando ao dia de hoje, quero mandar um repenicado beijinho a todas as mães e que elas sejam tratadas com o amor que merecem.  

Meus queridos! Neste dia Primeiro de Maio não podia começar os meus recadinhos sem deixar um ternurento beijinho de parabéns ao jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio e que hoje completa os seus 102 anos de vida. Criado em 1920 por José Bruno Carreiro e Francisco Luís Tavares, este Correio dos Açores foi o grande paladino da segunda campanha autonómica e congregou um vasto leque de colaboradores que lutaram pela afirmação da identidade social e cultural dos Açores e pela criação da chamada geração regionalista que marcou as primeiras três décadas do século XX. Mesmo depois disto, e já nos anos sessenta do século passado, voltou a ter um papel importante na afirmação insular e esta linha autonomista continuou depois do 25 de Abril e após algumas derivas próprias dos tempos da revolução. Muitas vezes, somos prontos a fazer os maiores elogios aos mentores da Autonomia de 1895 e esquecemos lembrar e até, porque não, elogiar os heróis da Autonomia que hoje vivemos… É que, não sendo ela perfeita, porque nada é perfeito… foi, sem dúvida, com o esforço e sacrifício dos heróis de 1974/1976 que se conseguiu que os Açores se tornassem numa Região com auto governo próprio. …. E ontem como hoje, o Correio dos Açores tem estado sempre no cerne desta luta e deste reconhecimento. Por isso e porque cada vez mais é um jornal de proximidade aos problemas reais das pessoas e também voz dos seus sucessos e iniciativas, quero deixar este ternurento beijinho a todos os que o fazem, na pessoa do seu simpatiquérrimo Director, Américo Natalino Viveiros, de quem espero que continue a acolher os meus recadinhos que aqui já estão há quase meio século…


Ricos! Mostrou-me a minha prima Teresinha alguns recortes de jornais dos lados do rectângulo onde se deu bastante destaque à homenagem prestada na Sala do Senado, da Assembleia da República, ao meu querido antigo Presidente Mota Amaral cuja fotobiografia, da autoria de Luís Bastos, conheceu agora a sua segunda edição. Com as mais altas figuras, presentes e passadas, do Parlamento Nacional, do Governo e de outros sectores da sociedade, foi mais uma ocasião para reconhecer o mérito daquele que justamente é conhecido como um “Pai da Autonomia” e como exerceu “vigorosamente” o cargo de Presidente da Assembleia da República…. Tal como disse Leonor Beleza, “Mota Amaral poderia ter sido chamado a desempenhar qualquer cargo no país. Percorreu o caminho que queria percorrer”…. E o caminho foi os Açores, na fundação da Autonomia e na criação das infraestruturas que faltavam para o seu desenvolvimento. Por isso, eu que aqui na minha Rua Gonçalo Bezerra, não perco nenhum dos seus artigos semanais, quero deixar o meu ternurento beijinho por mais este reconhecimento nacional e por mais uma Primavera que celebrou no passado dia 15 deste Abril….
Meus queridos! Se não tivesse lido, com estes que a terra há-de comer, no insuspeito jornal Expresso, não acreditaria que na política se pudesse descer tão baixo. Depois das provas que o partido da foice e do martelo deu quanto à sua subserviência ao senhor da guerra de Moscovo, decidiu ausentar-se da Assembleia da República quando discursava o Presidente  Zelensky… depois O PCP teve ainda o descaramento de discursar  no Parlamento nacional e chamando Zelensky de nazi e xenófobo…, como isso não bastasse, vem a saber-se que numa Câmara comunista, na cidade do Sado, refugiados da Ucrânia são recebidos por russos… que até lhe copiam os documentos e perguntam “o que os maridos ficaram a fazer na Ucrânia…” E o pior é que um dos figurantes russos nem é funcionário da autarquia… Está lá ao lado da mulher, essa sim, “consultora jurídica”… Se tudo isto for verdade, fundados são os medos dos refugiados… E não há ninguém que se imponha no meio deste descaramento horrível? Não sou mulher de políticas, mas ler aquela notícia deu-me cá umas náuseas que tão cedo não vou esquecer… E sou capaz de apostar que ainda virão os branqueadores do costume para justificar tais coisas…


Meus queridos! Li na passada Terça-feira no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, a história do cidadão que achou uma carteira com documentos e mais de 500 euros, aqui na minha cidade-norte e foi até à cidade da Lagoa procurar o dono da dita cuja para lha entregar. Segundo me disse a minha sobrinha-neta, nas redes sociais aquela notícia teve muitas centenas de comentários e de partilhas e foi considerada “a boa notícia da semana”.  No mundo em que vivemos há muitas, mas muitas pessoas que vivem com honestidade e com amor ao próximo. Simplesmente, o bem raramente é notícia e por isso só se vê e ouve notícias de roubos, assaltos e violências. Mas é bom que se vão publicando também bons exemplos, como o que agora foi feito e que afinal as pessoas até gostam de ler…


Ricos! Tenho escrito muitas vezes aqui nos meus recadinhos que neste mundo actual, onde quase não há tempo para pensar, as pessoas e organizações com a sede de protagonismo muitas vezes acabam por se contradizer. Foi o que aconteceu nas imediações da Covilhã, onde um grupo de pessoas, naturalmente com as melhores intenções, fizeram uma rifa para ajudar uma associação de protecção de animais, e puseram como prémio, imagine-se, um leitão assado…
Claro que logo choveram as indignações e a associação nem quis receber o pilim das rifas para não ficar envolvida na contradição… Imaginem se a moda pega… Qualquer dia… quando começarem as festas em Honra do Espírito Santo… aqueles que  são anti-tourada até podem fazer um protesto no meio de umas sopas… feitas com carne de novilho… e seguidas de uma espetada de touro!


Ricos! As festas do Senhor Santo Cristo este ano são marcadas pelo diferendo entre o Reitor, a Irmandade e o Presidente da Câmara de Ponta Delgada… Não sei como será o figurino que está a ser preparado, mas o que sei é que as Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres não são feitas pela Câmara, que deve emitir as licenças que são necessárias mas não imiscuir-se naquilo que compete à Irmandade organizar… em sintonia com o Reitor do Santuário da Esperança. É sabido que nas festas, depois da devoção, há sempre lugar para a alegria e cuidar do corpo… daí a existência dos “comes e bebes”…. Mas no Campo de São Francisco é despropositado instalar-se lá carrinhos de cachorros e venda de algodão doce e pipocas… porque o Campo deve ser espaço de música e meditação… A minha prima Ernestina diz que retirar os comes e bebes do Campo é reeditar o que narra a Bíblia quando Jesus expulsou do Templo os vendedores que se aproveitavam da ocasião para fazerem negócio!... Ernestina diz que até pensava que o Presidente da Câmara de Ponta Delgada acabasse com o estendal de tendas ao longo da Avenida para venderem bugigangas, vestuário e calçado… próprio de feiras do terceiro mundo! As festas do Senhor Santo Cristo não mereciam semelhante tira puxa…. entre entidades que têm é de gerar consensos… em vez de procurar protagonismo do que não lhes compete!...


Ricos! A EDA, presidida pelo meu rico Nuno Henrique Oliveira Pimentel, apresentou os resultados do exercício de 2021,em que o Grupo de empresas teve um lucro liquido que ascendeu a 12,6 milhões de euros, apesar de toda a instabilidade do sector energético e das dificuldades operacionais resultantes da avaria verificada na Central Geotérmica do Pico Vermelho, assim como do aumento do preço dos materiais e matérias-primas. Apesar disso, o resultado operacional totalizou cerca de 19,9 milhões de euros, representando um acréscimo de 2% relativamente aos 19,5 milhões de euros registados em 2020. Dos 12,6 milhões de euros de lucro, a EDA resolveu distribuir pelos accionistas 50% do lucro, isto é 6,3 milhões de euros. A minha prima Angélica diz que espera que dos lucros que  a Região irá receber que andarão à volta dos 3 milhões de euros, parte seja para amortizar a dívida que hospitais têm quanto ao fornecimento de energia, coisa que vem de longe….

 

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker