Projectos da Agenda Mobilizadora para as Pescas

Economia do mar com 79 milhões para investimentos até 2025 gerida pela empresa Portos dos Açores


A Agenda Mobilizadora do PRR para a Economia do Mar prevê a realização de investimentos de 79 milhões de euros no transporte marítimo, conserveiras, aquacultura, digitalização e sustentabilidade.
A Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar dos Açores do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), prevê um investimento global de 79,2 milhões de euros, a concretizar entre 2022 e 2025.
A Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar dos Açores aponta para a concretização de projectos de investimento em cinco áreas: transporte marítimo, conserveiras, aquacultura, digitalização e sustentabilidade.
O documento realça que “existe uma ligação clara entre os eixos definidos e os projectos estruturantes que os incorporam, desenhado por forma a permitir maximizar as oportunidades de financiamento existentes sobre cada um deles”.
Adianta que os cinco eixos inscritos na Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar dos Açores vão contribuir, “de forma inequívoca e positiva para o alcance de um conjunto de objectivos, nomeadamente a transformação tecnológica do sector das pescas, a descarbonização, a circularidade e a digitalização, os quais, em última instância, se manifestarão no desenvolvimento económico de toda a Região”.

Transporte marítimo
No âmbito dos transportes marítimos sustentáveis, está reservados na Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar dos Açores um total de 28,8 milhões de euros para projectos de investimento, sendo esse sector considerado como âncora do documento. Nesse âmbito, a Mutualista Açoreana pretende efectuar investimentos em retrofitting de embarcações com sistemas de propulsão híbridos mais amigos do ambiente (eléctricos ou a hidrogénio), realizar estudos, consultadora e projectos de investimento na área dos transportes e formação técnica dos recursos humanos.
Também a Transinsular pretende concretizar investimentos no retrofitting dos seus navios para soluções mais ecológicas, em contentores eco-friendly e em estudos de consultadoria.
Quanto à empresa Transportes Marítimos Graciosenses (TMG), os investimentos vão no sentido da renovação da frota de navios que asseguram o transporte de carga inter-ilhas “de forma a garantir uma pegada ambiental reduzida ou nula”.
A Portos dos Açores propõe investimentos na construção de lanchas de pilotos com zero emissões (propulsão eléctrica) e reconverter as sete embarcações semelhantes que dispõe para o mesmo consumo de energia.

Indústria Conserveira
No que se refere aos investimentos da Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar dos Açores a efectuar pela indústria conserveira, estão reservados 13,6 milhões de euros no âmbito do projecto Factory.
A Cofaco Açores pretende investir na instalação de equipamento Tunivac (cozedura a vapor de atum), na instalação de uma balança dinâmica, aquisição de NAFTA para energia verde, construção de um entreposto frigorífico e transição digital da fábrica localizada em São Miguel.
Quanto à Corretora, que dispõe também de instalações em São Miguel, as prioridades de investimento vão para a construção de edifícios, controlo de qualidade alimentar, desenvolvimento de iniciativas de comercialização, equipamento de instalações, equipamentos laboratoriais e administrativos, projectos de arquitectura, registo de marcas e serviços especializados para novos produtos. A Santa Catarina, que detém uma unidade fabril em São Jorge, pretende realizar investimentos na substituição de equipamentos, diversificação de produtos de modo a conjugar o atum com outros alimentos e ainda melhorar a capacidade de frio e de armazenamentos dos produtos.

Projectos da aquacultura
Um dos sectores inovadores da Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar dos Açores é a aquacultura, onde estão previstos investimentos de 7,4 milhões de euros no âmbito do projeto “Value - Desenvolvimento de produtos de maior valor acrescentado”.
A empresa Algicel pretende desenvolver diversos projectos de investimento, entre os quais a manipulação genética de microalgas para a produção de substâncias bioativas, em parceria com a Universidade dos Açores. Quanto à Aquazor, pretende efectuar investimentos na melhoria das unidades de produção. Entre os investimentos previstos estão a aquisição de jaulas e outros equipamentos e uma nova infra-estrutura para reprodução e pré-engorda. Prevê, ainda, a realização de investimentos em instalações de apoio ao centro de mergulho e manutenção de embarcações, entre outros.

Portos sustentáveis
Outro vector contemplado na Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar dos Açores é o da sustentabilidade através dos projecto “Green - portos verdes, circulares e sustentáveis”, que vai absorver uma dotação global de 7,9 milhões de euros.
Abrangidos por esse eixo estão as acções a concretizar pela empresa Portos dos Açores para a criação de farms fotovoltaicas nas instalações portuárias e a adaptação dos rebocadores para unidades de propulsão híbridas (tradicional ou hidrogénio). Quanto à secretaria regional do Mar e das Pescas, propõe-se a desenvolver um projecto no sentido de “promover a economia circular e a eliminação do desperdício”.

Digitalização
O projecto “Digital - porto do futuro”, com uma dotação global de 17 milhões de euros, é outra das áreas inscritas na Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar dos Açores. Nesse âmbito, a Associação Air Centre propõe-se concretizar o projecto “porto do futuro” que contempla o investimento na aquisição de sensores, modelação e software para “incrementar as capacidades das comunidades piscatórias locais, rastrear e suportar pequenas embarcações, melhorar as comunicações e prever com maior assertividade os dados meteorológicos”.
Já a Associação para o Desenvolvimento Formação do Mar dos Açores, pretende desenvolver a sua acção na vertente de dados e desenvolvimento de software com informação costeira e sobre as espécies demersais e outras.
Por seu turno, a Porto dos Açores quer investir em software para o tracking de contentores e o respectivo transporte inter-ilhas, na implementação de um sistema de “smart gates”, no tratamento informático de dados dos fluxos logísticos e ainda num processo automatizado para a invernagem e reparação naval.

Portos dos Açores é líder

 A Portos dos Açores foi a empresa seleccionada para liderar a Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar da Região Autónoma dos Açores do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).
Para além da Portos dos Açores, integram o consórcio de entidades copromotoras da Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar da Região do PRR, a Mutualista Açoreana de Transportes Marítimos, Associação de Desenvolvimento Atlantic International Research Centre (Air Centre), Sociedade Corretora, Associação para o Desenvolvimento e Formação do Mar dos Açores, secretaria regional do Mar e das Pescas, Algicel Biotecnologia e Investigação, Aquazor - Aquacultura e Biotecnologia dos Açores, Santa Cataria - Industria Conserveira, Cofaco Açores - Indústria Conserveira, Transpores Marítimos Graciosenses (TMG), Universidade dos Açores, Câmara do Comércio e Indústria da Horta, Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada e Transinsular - Transportes Marítimos Insulares.
A execução dos projectos da Agenda Mobilizadora para a Economia do Mar da Região, será acompanhada por uma Assembleia-geral (que integra todos os promotores) e peor uma Comissão Executiva, que terá um coordenador.
O PRR reserva para os Açores 580 milhões, que serão geridos pela própria Região. A isso somam-se mais 117 milhões, que ficam consignados em fundos nacionais. Esses 117 milhões chegarão à Região com a aprovação de projectos de investimento que foram apresentados pelos privados no âmbito das Agendas Mobilizadoras do Plano de Recuperação e Resiliência.

 

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima