Casas em São Miguel demoram menos tempo a ser vendidas

Lojas ERA reconhecem “escassez de oferta mas mantemos procura muito interessante”, diz Ricardo Moura

 Ao dados são do site Idealista/data, que se dedica a fazer análises com base em dados do mercado imobiliário em Portugal, Espanha e Itália, e dão conta que na ilha de São Miguel um imóvel demorou cerca de 4,1 meses a ser vendido, no terceiro trimestre deste ano. 
Este tempo de espera entre uma casa entrar no mercado e ser vendida até diminuiu este ano, em comparação com o mesmo período do ano passado em que, de acordo com os dados do Idealista, um imóvel demorava 5,8 meses a ser adquirido.
A análise feita pelo site imobiliário dá ainda conta que a ilha de São Miguel é um dos cinco locais do país em que o tempo de espera de venda diminuiu entre o terceiro trimestre de 2019 e o terceiro trimestre de 2020 (Évora, Guarda, Portalegre, Setúbal e São Miguel) e é a segunda zona do país em que o período de venda de casas mais diminuiu. Os dados dão conta que entre 2019 e 2020, São Miguel diminuiu em 52 dias o período de venda (passando de 5,8 meses para 4,1 meses), logo abaixo da cidade da Guarda que diminuiu em 67 dias o período de venda (passou de 8,3 meses em 2019 para 6,1 meses em 2020).
Nesta redução, e de acordo com os dados do Idealista, São Miguel equipara-se a Lisboa no período necessário para se vender uma casa (4,1 meses) apenas abaixo do distrito de Setúbal que, a nível nacional, destaca-se por ser o único onde se conseguiu reduzir o tempo de transaccionar um imóvel para menos de quatro meses (3,6 meses).
Tendo em conta a crise pandémica que se vive actualmente e atendendo ao facto que no terceiro trimestre de 2019 o mercado imobiliário estava em expansão na Região, mesmo assim os imóveis reduziram este ano o tempo de espera em mercado para serem vendidos. O Correio dos Açores quis saber junto da imobiliária que mais vende nos Açores, a ERA, acerca destes dados e constatar se efectivamente após o confinamento, no segundo trimestre de 2020, houve mais “apetite” para vender e comprar casa. 

“Há escassez de oferta mas mantemos procura muito interessante”

Os cerca de quatro meses indicados pelo site imobiliário Idealista para venda de um imóvel em São Miguel, não espanta o Director das Lojas ERA nos Açores. Ricardo Moura reconhece que a maior ilha dos Açores, principal área geográfica de actuação da ERA, sempre foi “um mercado bastante activo e com alguma rotatividade” e por isso “sempre foi relativamente célere a venda de um imóvel em São Miguel, desde que enquadrado nos preços de mercado”.
No entanto, ter encurtado em 52 dias o tempo de venda num contexto pandémico “não significa que o mercado esteja repleto de investidores e cheio de actividade económica, até mais do que em 2019 quando a economia estava na pujança máxima”.
A explicação é simples, adianta. Há escassez de oferta e muita procura. “A realidade é que continuamos a ter escassez de oferta e mantemos uma procura muito interessante. E um imóvel quando entra no mercado com preço justo é naturalmente vendido nesses registos de tempo”, o que não quer dizer que a economia esteja melhor, reforça. 
Mas essa escassez de imóveis não é de agora, do tempo de confinamento em que as imobiliárias estiveram encerradas e não houve transacções. Mesmo havendo indicadores que “em contexto de pandemia os clientes, quer compradores quer vendedores, têm tendência a adiar decisões”, explica.
Essa escassez de imóveis para venda já remonta há cerca de quatro a cinco anos, principalmente devido a outro tipo de escassez. “Sobretudo há uns 4 ou cinco anos, existe escassez de mão de obra, que leva a que o preço de construção seja um valor elevado e depois o nosso preço médio de venda por metro quadrado, é mais baixo do que noutras zonas do país”, o que torna pouco apelativo o desenvolvimento de empreendimentos em São Miguel “porque a margem é mais baixa do que em outras zonas do país”. Para além disso, os promotores imobiliários locais também não têm investido significativamente na promoção imobiliária “porque vêm de uma crise profunda”. Por isso, com a escassez de oferta torna-se natural que os imóveis demorem pouco tempo a ser vendidos. 
Apesar de reconhecer que os imóveis se vendem rápido em São Miguel, o Director das Lojas ERA nos Açores alerta para o facto destes dados serem apenas referentes a transacções feitas no âmbito do site imobiliário Idealista. Ou seja, “a ERA que é a empresa que mais imóveis vende nos Açores não tem um único imóvel anunciado no Idealista. Estes dados são analisados tendo por base apenas e só a amostragem disponível no referido site”, conclui.                    

 Carla Dias
 

Print
Autor: Carla Dias

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima