Em causa está a reacção da FPAK ao cancelamento do Azores Rallye deste ano

Presidente do Grupo Desportivo Comercial pede respeito

Na resposta às críticas do Presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK), o responsável máximo do Grupo Desportivo Comercial (GDC), em declarações à RTP/Açores, reafirma que o Azores Rallye não foi para a estrada por motivos de segurança e saúde pública.
Rui Moniz lembra, a propósito, que o GDC, entidade organizadora do Azores Rallye, é um dos fundadores da FPAK e, neste contexto, diz que não consegue adjetivar as palavras de Ni Amorim, Presidente da entidade que superintende a modalidade.
Quanto ao futuro, não existem razões para que a prova não regresse em 2021 e, sobre do descontentamento da FIA e da Eurosport Events, Rui Moniz revela que foram solidárias com as decisões.
Recorde-se, na circunstância, que a FPAK se mostrou publicamente decepcionada com o cancelamento do sempre aguardado Azores Rallye. 
Entretanto, o Presidente da Associação de Pilotos dos Açores, igualmente em declarações reproduzidas pela RTP/Açores, sublinha que a decisão devia ter sido tomada mais cedo. Luís Pimentel afirma que será necessário um patrocinador para a edição de 2021 da magna prova do automobilismo das ilhas de bruma.
“Faltava menos de um mês para a realização do Azores Rallye quando a decisão do adiamento da prova foi conhecida, altura em que já algumas equipas tinham em marcha o processo para a deslocação ao arquipélago”, nota.
Quanto ao futuro, Luís Pimentel considera que a entrada de Fafe no calendário não coloca em causa a presença do rali açoriano no Europeu de Ralis, mas, ao mesmo tempo, reforça que é fundamental a existência do um patrocinador.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima