12 de julho de 2020

Crónica da Madeira

Sabor a sal

Sabor a sal
nos lábios do pescador
nas lágrimas de tantas mães
nos dedos de uma criança
no olhar da prostituta

Sabor…
Altivo, indiferente,
Ancorado na paixão
Dos portos da ilusão
Na procura de outra gente…
Alma rocha 
Fez-se mar 
Beijo de vulcão salgado
Suspenso na madrugada.

Flor de vida
Pedras brancas
Juntas esperanças 
no voar
das asas longas

Águas azuis
Flores salgadas
Bamboleiam na distância

Sonhos meus 
Horizontes de velas
Da minha melancolia

Teias de imaginação
presas nos olhos
do tempo
tecidas em fios
de lágrimas
salgada por fora
rubra por dentro,
ilha minha
lava de fantasma 
séculos de sal,
sabor a gente,
beijos de mar…

(Água no Mar, 1990)

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima