Área de produção agrícola em modo biológico nos Açores aumentou 37% e número de produtores 14% em 4 anos

O trajecto de crescimento da agricultura biológica nos Açores está em perfeita concordância com os objectivos definidos a nível europeu para a Política Agrícola Comum (PAC) no período 2021 – 2027, que prevê um conjunto de medidas de apoio tendo em vista o reforço desta prática agrícola. A afirmação pertence ao Secretário Regional da Agricultura e Florestas no Faial.
“A realidade demonstra que nos Açores estamos empenhados e a trabalhar no sentido de haver um crescimento sustentável das áreas de produção em modo de produção biológico, tal como preconizam as metas europeias definidas na futura PAC 2021 – 2027, contribuindo para diversificar a nossa agricultura e para reduzir a utilização de pesticidas”, referiu João Ponte, que falava na abertura das novas instalações da Associação de Produtores e Consumidores de Agricultura Biológica (Trybio).
O governante destacou que, só na actual legislatura, a área de produção agrícola em modo biológico nos Açores aumentou 37% e o número de produtores 14%, o que dá bem nota do interesse que este tipo de prática agrícola, mais sustentável, está a despertar na Região.
“Se olharmos ao caso particular da ilha do Faial, o número de produtores em produção biológica duplicou nesta legislatura, pois passamos de 12 produtores para os actuais 24, e em termos de área houve um aumento de 6%”, indicou João Ponte, acrescentando que este crescimento ocorreu essencialmente ao nível da produção de hortícolas.
A produção de leite biológico e de carne bovina biológica são também já uma realidade nos Açores, contribuindo para este ciclo de desenvolvimento do biológico, que vem permitir dar resposta às necessidades dos consumidores e à procura por parte dos mercados.
“Todos estes projectos empreendedores que começam a solidificar-se dão-nos uma perspectiva muito positiva quanto ao futuro”, disse João Ponte, frisando que os Açores, pelas suas características naturais, “têm todas as condições para liderar neste modo de produção”.
O Secretário Regional salientou também que já foi definida uma estratégia regional e um plano de acção para a agricultura biológica a implementar na próxima década, com cinco objectivos estratégicos, que passam pela expansão das áreas de produção biológica, aumento da produção e, consequentemente, da oferta de produtos agrícolas e agroalimentares com origem na produção biológica, promoção do conhecimento técnico e científico, dinamização da inovação empresarial e disponibilização de informação estatística, bem como fomento da promoção e reforço da confiança e da credibilidade destes produtos junto dos consumidores.
No âmbito do programa POSEI foram também introduzidas alterações, tendo em vista tanto majorações nas ajudas às produções em modo biológico ou em conversão, como isenções, permitindo que os produtores de leite, de hortofrutícolas e apicultores, entre outros, recebam os apoios na totalidade.
Relativamente à nova sede da Trybio, localizada num edifício cedido pelo Governo dos Açores após obras de beneficiação orçadas em 30 mil euros, na Quinta de São Lourenço, onde funciona o Serviço de Desenvolvimento Agrário do Faial, João Ponte considerou que dá “novas e melhores condições” para que esta entidade parceira do Executivo possa desenvolver o seu trabalho e ajudar a fomentar o crescimento da agricultura biológica na ilha.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima