PSD requer audição ao presidente da Autoridade Nacional de Comunicações para esclarecer sobre Cabo submarino

O Grupo Parlamentar do PSD na Assembleia da República, suscitado pelo deputado eleito pelos Açores Paulo Moniz, solicitou ontem a audição do Presidente do Conselho de Administração da Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) na Comissão de Economia, Inovação, Obras Publicas e Habitação, a respeito do cabo submarino que liga os Açores ao continente e que assegura todas as comunicações electrónicas tanto internamente, como com o exterior. 
Conforme recordou o deputado Paulo Moniz, a continuidade desta interligação dos Açores ao mundo pode ficar brevemente em sério risco, pois há́ em cima da mesa a intenção manifestada por 10 dos 11 operadores de comunicações que constituem o consórcio que explora e mantém o cabo de abandonarem a sua utilização até ao final do ano. O cabo Columbus III que liga os EUA à Europa, na passagem pelo arquipélago, é que leva a fibra até Lisboa, assegurando todas as comunicações entre aqueles pontos”.
Com efeito, a partir de Janeiro, “todos os encargos poderão recair sobre um único operador, a Altice, que, a confirmar-se, terá de suportar todos os custos de manutenção, operação entre outros, ignorando-se se terá capacidade e sequer disponibilidade para o fazer”, refere o social-democrata.
Paulo Moniz foi o deputado a suscitar a questão no Parlamento nacional, porquanto aquela interligação dos Açores a Lisboa “é imprescindível”, torna-se necessário “avaliar a situação e procurar soluções por forma a evitar que se consume uma situação catastrófica de ruptura nas comunicações”, alerta.
 “A acontecer, seria extremamente grave, pois dependem do cabo submarino os telefones móveis e fixos, a televisão, o funcionamento de toda uma variedade imensa de serviços, a Internet e tudo o que nela assenta”, volta a lembrar.
 Acresce que a substituição dos actuais cabos submarinos “já era uma situação urgente, uma vez que estes terminam a sua vida útil em 2024/2025, e sendo que a sua substituição requer, em condições normais, um prazo de três a quatro anos”, neste momento tornou-se uma situação urgentíssima e de extrema importância para os Açores, porque também neste aspeto “assenta a realidade que todos conhecemos em meios de comunicação”. “Não se entende o arrastar deste processo. É de recordar que o PSD propôs uma alteração ao Orçamento de Estado deste ano para incluir uma verba que permitisse a construção dos cabos já em 2020, mas a proposta foi reprovada” sublinha o parlamentar açoriano.
O requerimento da audição ao presidente da ANACOM, subscrito pelos deputados do PSD da Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, será votado na próxima Terça-feira.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima