18 de outubro de 2019

Os limites do envolvimento no processo desportivo

No seu papel de gerar oportunidades, os pais desempenham funções como inscrever os filhos num clube, pagar pelos materiais, transportar os filhos para os treinos ou para as competições ou suportar toda a logística inerente à prática de uma actividade desportiva. Como intérpretes, os pais funcionam como mediadores entre as experiências e a avaliação cognitiva que os filhos fazem da sua prática. Finalmente, os pais podem influenciar os seus filhos, funcionando como um modelo de comportamento positivo, quer pelas suas atitudes, pelos seus comportamentos ou pela forma como vivenciam as práticas desportivas. Sabemos que muitas vezes, quando os pais praticam desporto, a probabilidade de os filhos praticarem desporto é maior.
É frequente os pais terem a sua própria agenda. Nestes casos os pais parecem ter motivações próprias, tentando induzir os seus filhos a praticar um determinado desporto ou a atingirem determinados níveis de performance. É neste contexto que muitas vezes surge a “pressão parental”. Este é um conceito definido como sendo um comportamento percebido pelos atletas como uma expectativa pouco provável ou até inatingível. Quando os jovens se sentem preparados para competir, normalmente manifestam entusiasmo e interesse. É importante que os pais apoiem os filhos, mas é ainda mais importante que saibam distinguir entre apoio e pressão.
Se por um lado, a influência positiva dos pais pode promover a autoestima, as perceções de competência, a sensação de autoeficácia, a sensação de prazer e divertimento dos filhos, por outro lado, quando este processo de influência é essencialmente de natureza negativa, os pais poderão ser a principal fonte de desmotivação, frustração e abandono da prática desportiva dos jovens.
É frequente ouvirmos os treinadores dizerem: "eu trabalho bem com os atletas, não suporto é os pais"; ou então "este jovem poderia ser um grande atleta se os pais não o pressionassem tanto". Também não é incomum ouvirmos atletas dizerem: "os meus pais pressionam-me muito, prefiro que não vão às competições", "os meus pais dizem uma coisa e o treinador diz outra, não sei que fazer"; " já não consigo suportar os meus pais… Estou a pensar desistir".
 

Humberto Rosa

Print
Autor: CA

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima