3 de março de 2019

Recados com Amor

Ricos! Sempre se ouviu dizer que há mil maneiras de prevenir o mal e mil e uma de o realizar. Mas a verdade é que hoje há coisas cada vez mais difíceis de controlar. Com a droga a ser um flagelo crescente de dia para dia, cá fora e dentro das prisões, imaginem só a arte e engenho da nova moda de a passar para dentro das cadeias. Primeiro entram os telemóveis, que são proibidos pelos regulamentos, mas que conseguem saltar, nem que seja dentro de um pão de forma, e depois, combina-se com os amigos o dia e hora do abastecimento da droga e outras coisas de contrabando que chegam ao destino (cadeias), através de drones que sobrevoam os pátios e vão até às janelas das celas… E se um guarda prisional abater um drone, se calhar ainda vai terde malhar com os costados na barra do tribunal por atentado à propriedade privada e derrubo de equipamento voador… Como é que se pode ser regedor num tempo destes?... alguém me explica!!!


Meus queridos! Nem imaginam como fiquei ruim quando li esta semana no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio que lá para os lados de São Bento, os deputados para dizerem que estão presentes no plenário ou nas comissões parlamentares vão ter de introduzir uma palavra passe no computador e vão ter de responder a uma pergunta para provar que são eles de facto que estão presentes e não outro por eles. É muito triste que se tenha de chegar a isto. Eleitos para representar o povo, deviam ser exemplo de integridade e transparência e não andar em esquemas a ver quem é que leva mais pilim no fim do mês para casa, como se fossem um bando de oportunistas. Como diz a minha sobrinha-neta, se é preciso tanta coisa para controlar as presenças dos deputados no Parlamento, como é que se admiram dos truques e esquemas dos alunos para faltar às aulas nas escolas? Tenham juízo e vejam o exemplo que dão aos jovens e aos eleitores que os elegeram!


Ricos! Uma figura pública seja ela Ministro ou outro qualquer governante, não pode andar por aí a dizer a primeira coisa que lhe vem à boca, correndo o risco de se tornar ridículo ou então de dizer em que a boca fugiu para a verdade. Foi o que pensei quando ouvi, com estes que a terra há-de comer, o sorridente Ministro Pedro Sisa Viera, dizer esta semana, alto e bom som… quando provava uns queijos e uns presuntos, em plena feira SISAB onde os Açores se destacavam com uma assinalável presença de empresários …que desde que foi feito Ministro já tinha engordado oito quilos… Como o rico é Ministro da Economia, pode e deve economizar nas oportunidades de jantar e almoçar. É que ninguém obriga ninguém a ter de engordar assim tantos quilos. Ministro que se preze deve manter a linha, a não ser que queira fazer jus ao ditado de que fama sem proveito não vale nada…


Meus queridos! Quem anda imparável em campanha eleitoral é o o meu querido e sempre activo André Bradford que está em todas, na imprensa, nas redes sociais e em multiplicadas visitas a instituições açorianas percorrendo o caminho que o vai levar a Bruxelasj já que foi colocado em quinto lugar na lista do PS. A gente sabe que o rico está eleito tal é o efeito da onda rosa… mesmo que as eleições calhem  mais uma vez em Domingo do Santo Cristo…coisa  que na ilha de São Miguel é muito convidativo para ir votar! E a certeza é tanta que a Universidade dos Açores na notícia que colocou nas redes sociais, já o tratava o rico por deputado europeu e tudo… Também não é preciso tanto… Bem bom que umas horas depois houve uma alma caridosa que corrigiu. Como diz a minha prima Genoveva, a luz que vai à frente alumia duas vezes!


Meus queridos! Em tempo de Carnaval, e mais uma vez, andam os promotores dos bailinhos da Terceira a contas com os direitos de autor, porque o Governo da Geringonça fez ouvidos de mercador a uma recomendação da ar de direitos de autor aqueles e outros eventos de raiz genuinamente popular onde não há expectativas de lucro e que são mantidos por carolice e por vontade popular de muito esforço e voluntariado. E estão à porta os impérios, funções e mordomias e mais os arraiais de paróquia, flagelados com as pesadas facturas dos direitos de autor e não há maneira de se legislar contra esse verdadeiro sorvedouro que já dura há muitos anos sem que alguém lhe ponha fim. Passa fora!


Meus queridos! Contou-me a minha prima Maria do Pico que no passado fim-de-semana vinda de Lisboa, e com o mau tempo, o avião que a SATA alugou para trazer o pessoal, teve de ser desviado para Santa Maria, o que é absolutamente normal. Diz ela que normal não foi estar mais de cinco horas fechada dentro do avião, com calor insuportável, sem comida e até, no fim, sem água, só porque, segundo disse o Comandante, o director do Aeroporto não deu licença para que os passageiros desembarcassem. E quando chegaram a Ponta Delgada, já perto da meia-noite, os passageiros para as outras ilhas penaram o gadelho para saber onde dormir e foram-se deitar sem comer… Do mau tempo ninguém tem culpa, mas cabe à SATA, ou a qualquer companhia que se preze, olhar pelos passageiros que não podem ser deixados ao deus-dará.


Ricos! Não sei se é um site ou se é um blogue, porque sou uma mulher pouco entendida nessas coisas da net. Mas há uma publicação virtual chamada “Portugal de Norte a Sul”, com bonitas fotografias e lindos textos que num dia destes andou a fazer a promoção da Ilha das Flores, como sendo a mais bela ilha tropical e que muitos portugueses não conhecem… Verdade que as Flores são do mais belo que existe neste mundo, mas tropicais? Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. É caso para dizer que lá para os lados do ocidente andam com azar geográfico. Há dias, nos mapas da RTP/1, o Corvo foi transferido para junto de Santa Maria e agora as Flores são desviadas para os trópicos… E que tal mandar fazer uns mapas dos Açores para oferecer por aí?


Ricos! Daqui mando um repenicado beijinho à minha prima Benedita que celebrou esta semana as suas 60 primaveras e quis juntar várias amigas na sua mansão, na conhecida “Beverly Hills” da Ribeira Grande, onde não faltou o famoso sabor do bacalhau cozido nas Caldeiras Novas da minha cidade norte. Não pude estar presente, como era o meu desejo, devido à minha hérnia discal, que me impediu, mais uma vez, de me juntar às minhas amigas num dia tão lembrado, mas pelo que me contou a minha comadre Cesaltina, que nestes dias anda muito radiante pelas notícias chegadas da América, o serão foi bastante regado com nêveda vinda propositadamente da ilha do Pico. Soube também que a sempre diligente terceirense Amparo do Espírito Santo, no decurso do serão ter-se manifestado ser uma grande fã dos meus recadinhos, fazendo até colecção daqueles que mais a inspiram para ler às suas amigas lá da Caixa. Naquele serão todas juraram que não se falaria de política caseira, mas o certo é que andam todas ansiosas para conhecer o desfecho final da lista do PSD às Europeias, e como se desenvencilhará a liderança regional… pela não inclusão de Mota Amaral. A Benedita esmerou-se na celebração da data, e fico feliz por ela entrar na minha lista das sexagenárias, o que a desculpa de não ter confeccionado o famoso arroz doce, só comparável àquele servido no Restaurante Caldeiras. A minha prima Benedita fez questão de agradecer à finória Josefina, que nunca se esquece de levar os seus condimentados torresmos brancos para delícia sobretudo da sempre simpática viúva amiga Gertrudes. Que Benedita se prepare para festejar outros tantos anos, na companhia das amigas que mais gosta e que por cá continuem com saúde para tanto…

Maria Corisca

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

x
Revista Pub açorianissima